terça-feira, 9 de março de 2010

SÓ UM DOIDO SÓ

Maluco nas estrelas,
guitarrista no meu quarto,
astros de olhos fechados,
pela vida uma vida à frente.

Com sono de levantar,
da rotina de acordar,
da esperança de amar
o calor de ser amado.

Ao som do sol perfeito,
das nuvens brancas como as histórias,
passaram-se tantos olhares,
vivi tantos amores.

Apaixonando-se pelas pessoas,
odiando a humanidade,
querendo achar uma vida vivendo,
procurando a perfeita.

Um doido, só um doido.
Só um doido só, único no planeta
ariano de sangue, da vida com raiva
ainda sem lágrimas, mas com coração.

Saibas a doidera, de viver o pecado
sem sentir o sabor do beijo da vida
que ensina a não matar,
mas morrem calados na caixa.

Alisson Monteiro de Freitas

2 comentários:

  1. cinesangue.blogspot.com12 de março de 2010 16:09

    Muito Show seu blog...gostei...parabéns.... :)

    ResponderExcluir
  2. Sim são parecidas , tem um mesmo conceito, de se sentir dóido, estranho no meio das pessoas e preferir a solidão.

    Gostei do que você escreveu, muito bom mesmo!
    Parabéns!:D

    ResponderExcluir