quinta-feira, 8 de julho de 2010

A quem possa interessar...

Antes fosse um poeta, um doutor, daqueles que não perdem tempo, e faz sua arte para frente, escrevendo para o próximo e não por mágoas adolescentes.
Que não me veja com texto sem conteúdo, os conteúdos de hoje em dia que estão sem textos.
A quem possa interessar querer saber sobre a vida, a vida que ninguém sabe.
Entre todas as alucinações do mundo, sonhar sempre foi a mais real, porque sonhar é a maior realidade do homem.
E me vejo na camada de seu cérebro, tentando de atacar, usufruir de sua beleza e confiança, andar com vc em são paulo, ou em qualquer outro lugar, mas ter sorte de ter alguém confiável. A vida me trazia amores, a morte me trazia pressa.

Alisson Monteiro de Freitas

7 comentários:

  1. Somos normais em um mundo errado (a quem possa interessar...)

    ResponderExcluir
  2. A quem possa interessar:
    Tô nem aí pra nada...pq a pressa de viver me tira o foco da guerra. Travo a paz, então!
    É mais fácil!
    É mais lasciva.
    Nada melhor que me deixar navegar por aí, até encontrar suas palavras!

    beijos

    ResponderExcluir
  3. escrevemos pra pessoas que nao conhecemos, que nao se importam conosco, mas que por um pequeno tempo fazem parte de nossa vida, mesmo sem a gente saber; é só o tempo de ler e refletir sobre o que escrevemos
    depois já esquecem de nos, é mais um que se vai

    ResponderExcluir
  4. O.O "E foi até estranho a gente nem deu conta, talvez na outra ponta alguém pudesse pensar..."
    Isso foi para alguém??

    ResponderExcluir
  5. Os conteúdos de hoje em dia é que estão sem textos.
    Ótimo!!!
    Sucesso

    ResponderExcluir
  6. "os conteúdos de hoje em dia que estão sem textos." Perfeito.
    Adorei o texto. Parabéns.
    Escrevr para quem não conhecemos, na tentativa de com simples palavras trasmitir algum sentimento, e que faça efeito!

    ResponderExcluir